24 de fevereiro de 2009

amOr sec.X X

O amor já teve um toque sagrado, a magia de uma inutilidade deliciosa, já foi um desafio ao dia-a-dia que nos tirava da vida comum. Não existe mais o amante definhando de solidão, nem romeus,nem julietas, nem pactos de morte; não existe mais o amor nos levando para uma galáxia remota, a uma eternidade semi-religiosa. O amor tinha uma fome de compaixão pelo outro, de proteção à pessoa amada. Isso está acabando. O ritmo do tempo atual acelerou o amor, o dinheiro contabilizou o amor, matando seu mistério impalpável. Hoje, temos controle, sabemos por que "amamos", temos medo de nos perder no amor e fracassar no mercado. O amor pode atrapalhar a produção.(eu realmente sou contra esse super-capitalismo!!)


O amor passa a buscar não mais uma entrega, mas um domínio. O amor vira um objeto de consumo (fast Love) com obsolescência programada para durar pouco. O amor deixa muito a desejar. Em geral, o amor existe hoje como uma espécie de adoçante para justificar, legitimar uma tesão ou uma conquista. Os amores duram três edições de Caras.Os casais se permutam num troca-troca rápido e quantitativo. As próprias mulheres estão virando "D. Juans"(uma baixaria só!!).Vejam a quantidade de jovens atrizes que vão comendo, um por um, os modelos que surgem nas revistas, elas, que deviam se manter damas inatingíveis para pálidos queixotes românticos.


Estamos com fome de amor cortês, num mundo em que tudo perdeu aura. O terrível bombardeio que a cultura americana está fazendo nos sentimentos é invisível, mas é pior que as bombas contra o Iraque. A cultura americana está criando um "desencantamento" insuportável na vida social. Tudo é tolerável, num arrasamento de mistérios. Vejam a arte tratada como algo desnecessário, sem lugar, sem uso, vejam as

mulheres amontoadas na Internet, nuas, com números — basta clicar e chamar. Estamos com fome de infinito em tudo, na vida, na política, no sexo.


Nos anos 60, liberdade sexual foi uma questão política. Hoje, podemos tudo,podemos casar até com jacarés ou macacas(acho que já vi m caso desses), sem escândalos, desde que não prejudique a produção. Mas o que invisivelmente está virando uma nova necessidade política é o amor e seus subprodutos: compaixão, paz, justiça.Ninguém está agüentando mais “somente “utilidade” e “desempenho”, poder e sucesso. Estamos virando coisas. Precisamos aprender a amar de novo as pedras, as árvores, as nuvens, até chegarmos a nós mesmos...



# vou indicar mais um blog o papo contemporaneo um novo projeto!eu juntamente com pessoas de ótemas ideias! deem uma passadinha lá!!! beijO


# Quero agradecer publicamente por ter sido indicada por melhor texto pelo blog indicoesse ,quem quiser ver eh só clicar!!Não sei o que dizer..são só sentimentos..

24 comentários:

Thiago Assis disse...

Acho que esse amor que você descreveu pra antigamente era clássico para Sheakspeare... não sei se era assim na real não.

Para mim, antes o amor era por interesse,
reis casavam suas filhas com alguem de outra familia rica e coisa e tal,
hoje não, hoje é que é por amor, hoje não existe mais interesses não ^^
(ironia mode: ON)


www.thiagogaru.blogspot.com

€ster disse...

Olá querida!

Será um prazer tê-la na blogagem coletiva!

Só o que terá que fazer é pegar o selo da blogagem em meu blog e hospedá-lo por uns dias no seu. E escrever um texto sobre "Inclusão Virtual", pode ser tb entrevista, mostrar um vídeo, desenho, etc.

todos os participantes postarão no dia 09/03 e visitarão uns aos outros.

Qualquer coisas estarei bem aqui ao lado!


bjs!

Mateus Araujo disse...

nossa!comos escreves bem!
muito bons teus textos.
vim agradecer a visita :)
já estou te acompanhando (Y)
bjim

Mateus Araujo disse...

aAh e sobre o outro blog do papo comtemporâneo...
eu não consegui comentar lá =/

;*

Prii Carvalho disse...

"Fast Love" e as "três edições de Caras" foram ótimos. kkkkkkkkkkkkkkkk
Hoje amor é marketing. A gente vê isso no BBB todo dia. É só se envolver com alguem que vc fica até o fim do programa...
Aliás, nem me atrevo a chamar esse tipo de coisa de amor. Pq agora o amor é confundido com tesão...

Daniel Savio disse...

Amamos o que nos é facil, não aquilo que lutamos por conquistar...

E antes que eu me esqueça, belo texto senhorita Nathália.

Fique com Deus, menina.
Um abraço.

Gusta Fernandes disse...

Eita, tá realmente faltando amor sim! Onde está as pessoas que amavam tanto que se matariam por amor...
sinto falta das declarações verdadeiras de amor, declarações estas, que não precisavam ser ditas por palavras... apenas com um olhar.

As pessoas esqueceram uma parte da inocencia e da simplicidade ... elas foram corrompidas pelo sucesso, dinheiro e "status".
Mas pra mim o sucesso é ser feliz, dinheiro só compra o que é falso... assim como ele. E "status" é pra quem se importa com nossa grande sociedade hipocrita e sua opinião futil!!!

Adorei o blog...
Com certeza venho mais vezes aqui... não me admira nada você ter sido indicada como melhor texto! PARABÉNS!

grande beijo!

Gusta Fernandes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ryan disse...

Nathi, acho que você esta coberta de razão. O que torna isso pior [para nós mesmos] é que estamos vivendo o período de transição! Ou seja, a maioria das pessoas não estão prontas para entender ou preocupar-se com isto. Consequentemente acabamos machucados com os casos e acasos da vida. Um amor ferido, doido, inesquecível, inatingível... tragado pela nova era que "modernizou" tanto o homem com a disponibilização de artifícios tecnológicos ocorrendo n'uma grande micigenação de culturas! Esquecemos ou melhor, eles esqueceram o que é o amor verdadeiro, sentimento belo e puro! Quanto a nós, basta lutar para manter vivo aquilo que aprendemos a sentir...

Beijão!

nota: ótimo texto, me fez ter boas lembranças de um amor verdadeiro!

Thiago Assis disse...

Tem selo pra ti no meu blog =]

A.C disse...

Olá
Vc elogiou meu texto, mas quem ficou encantada fui eu com o seu.
Escreves mto bem mesmo.
Lindo post, nos faz pensar bastante eos textos que nos fazem refletir são os melhores.
Parabens pela indicação a melhor texto!
Bjos

Atreyu disse...

Antes não era tão puro!
E hoje também não é!
Acho que depende da pessoa e dos valores que ela tem!
Gostei muito da idéia do post!
=D

Deusa disse...

parabens pela indicaçao, acho seus textos otimos, esse e um dos motivos q me faz vir aqui sempre.

bjos

Sarah Toledo disse...

não sei se antigamente o amor era desse jeito não. acho que cada época tem seus problemas, inclusive nessa área. interesse sempre houve e sempre haverá. mais concordo que hoje as coisas estão muuuuuito mais banalizadas. eu tenho uma esperança (talvez infudada)que ao invés de piorar, as pessoas vão perceber o quanto está caótica a vida e retomar alguns conceitos. na verdade, já cheguei até ver uma análise sociológica sobre isso. que a sociedade passa por ciclos e não é improvavél que o pensamento mais conservador volte ainda. interessante.

abração.

Max João disse...

Pois eh amanhã é meu niver, e obrigado jah pelos Parabéns !
HIiHi
O amor do Século XX era sim o verdadeiro, mas já no século XXI é fácil comprar o amor, encontramos na porta das nossas casas, pessoas não se importam mais com um amor verdadeiro !
BjOOos.
Boa Tarde !

Danillo Araújo disse...

Obg por visitar o Novo Blog!

Agora está com o novo link...

www.jovenscomesperanca.blogspot.com

;D

Varda disse...

Oi,sabe que eu estava pensando nisso essa semana?
O amor não é mais tão intenso como no sec.18,19..Virou só mais um adicional,ninguém se importa realmente.
As pessoas só querem alguém do seu lado para ajudar a pagar as contas e fazer sexo ¬¬...

;*

Philip Rangel disse...

Oii..primeira vez aki...e gostando o lendo aki.....

muito bom mesmo qndo gostamos de alguem ne.......amor contemporaneo....


bjos

€ster disse...

Estou passando para deixar alguns esclarecimentos sobre a blogagem coletiva:

A blogagem coletiva gira em torno de um tema central que é "Inclusão Social", dentro desse tema há muito o que ser falado sobre as minorias marginalizadas, sejam elas moradores de rua, favelados, deficientes físicos, vítimas de racismo, vítimas de violências domésticas, viciados, etc... Você poderá postar um texto de sua autoria dando sua opinião, ou colocar texto de outros autores, escrever uma poesia, colocar vídeos, enfim, vc escolhe a maneira como vai postar.

Todos os participantes irão postar no mesmo dia, que é dia 09/03. Se houver algum problema de postar nesse dia, postar antes e deixar para que os outros participantes possam ver sua postagem e comentarem. Todos irão visitar uns aos outros. A idéia é essa conhecermos novos pensares e novas pessoas.

Todos postarão em seus respectivos blogues. E se possível, colocar o selo da blogagem coletiva no lado direito de seu blog para ajudar na divulgação.


Coloquei uns sites em meu blog que ajudarão na pesquisa,


Abs,

Thaís A. disse...

Lindo post, e concordo com você.
O pior de tudo é pensar que as pessoas acabam de se conhecer e na segunda semana já fala ' Ai amor, amo você '.

Beijão :*

Atreyu disse...

Tem Selo pra você!
Vai lá no Blog! =D

Deusa disse...

tem selinhos no blog, e vc sabe q merece neh?!?!?!

Nathália disse...

O que eu falo: a banalização do amor foi uma das piores coisas que o ser humano conseguiu desenvolver.

Luiza F. Nunes disse...

Discordo um pouco, hoje é dificil existir amor,mas quando existe é amor verdadeiro. Talvez esse seja o problema, a falta do amor.

Obrigado por passar no Expressão, te linkei ok?

Bjo